ISSN: 2697-0708 ● DOI: 10.51443/RestauraRios

Volumen 1

Secção de desembocadura, alteração da geomorfologia em caudais de aluvião e restauração fluvial

Ollero Ojeda, A.

Resumo

Se deve incidir sobre algumas das más práticas que destroem a geomorfologia fluvial nos caudais das aluviões. São acuações muito extensas no território e muito frequentes, apresentando-se aqui dois exemplos na bacia do Ebro. Estas más práticas que consistem na terraplanagem dos leitos e nas acumulações de material de aluvião nas margens em busca duma suposta maior secção na desembocadura, encontram-se nas antípodas da restauração fluvial que deve ter como objetivo prioritário a naturalização dos processos e formas geomorfológicas para conseguir resiliência geromórfica, disso dependem os outros elementos do sistema fluvial. Se expõe a necessidade urgente de abandonar essas práticas e de sensibilizar sobre a sua ineficácia e danos que ocasionaram. Também se acrescentaram ideias desde a restauração hidrológica para minimizar os seus defeitos, fundamentalmente as futuras enchentes, que reconstruirão os caudais danificados.

Palavras chave

Qualidade hidromorfológica, Geodiversidad, Gestão fluvial, Impacto ambiental